Inicio » Noticias, Portugês

Manifesto à Sociedade Democrática Venezuelana e à sua Força Armada Nacional

11 January 2013

Versión en español

 NoALaCubanizacion

Em todos os setores democráticos do país e, especialmente, para as Forças Armadas Nacionais:
Vamos respeitar a Constituição e impedir a dominação cubano!

Nós, os abaixo assinados, nos dirigimos a todos os setores democráticos do país e em especial aos integrantes das Forças Armadas Nacionais, nesta hora nefasta da pátria, para estabelecer-lhes o seguinte:

1. Desde há quatorze anos a Venezuela tem sido vítima de uma invasão por parte do regime castro-comunista cubano. Esta invasão efetuou-se devido a que foi propiciada e amparada desde o mais alto governo.

2. De maneira lenta e progressiva, os cubanos tomaram o controle de nossas notarias, os registros, o sistema de identificação e estrangeria, a política exterior e setores importantes da economia nacional. O controle dos cubanos chegou inclusive aos corpos policiais e às Forças Armadas, em detrimento da segurança e defesa do Estado.

3. As conseqüências da dominação castro-comunista se evidenciam em todos os âmbitos da vida nacional. Isto significou, entre outros muitos males, a destruição de nossa indústria petroleira, o desmantelamento do aparato produtivo, tanto no campo como na indústria, a progressiva eliminação das liberdade civis e econômicas, e o avanço do narco-tráfico, da guerrilha e do crime organizado.

4. Para garantir seu controle sobre a Venezuela, o castro-comunismo desenhou um sistema eleitoral à sua medida, que lhe permite tergiversar a vontade dos eleitores mediante o vantagismo, o abuso, a coação, a compra de consciências e um sem-número de vícios e irregularidades.

5. Os recursos do Estado venezuelano já não são investidos para resolver os múltiplos problemas que afetam nosso povo, senão que se utilizam abertamente para financiar a expansão do castro-comunismo em toda a região. É por isso que uma parte da comunidade internacional, subornada com petro-dólares venezuelanos, avaliza e legitima a invasão cubana na Venezuela.

6. É público e notório que o destino dos venezuelanos já não é decidido por nossas próprias autoridades, senão que se define descaradamente em Havana, com a participação aberta dos irmãos Castro.

7. Preocupados pelo desaparecimento físico do presidente Chávez, o regime cubano desenhou um mecanismo para perpetuar seu controle sobre a Venezuela. A manobra inclui apontar um sucessor submisso a seus interesses, Nicolás Maduro, e propiciar um “pacto” entre os diferentes setores do PSUV que garanta a continuidade da ingerência cubana em nossa nação.

8. Esta manobra conta com o respaldo de vários presidentes latino-americanos, entre eles os de Argentina, Brasil, Bolívia, Cuba, Equador, Nicarágua e Uruguai, a maioria dos quais não só compartilha a mesma ideologia e as mesmas metas políticas, senão que todos se beneficiam das contribuições econômicas que o governo venezuelano lhes proporciona.

9. Tudo o que foi dito anteriormente constitui uma clara violação à Constituição e às leis, configura um golpe de Estado em favor de uma potência estrangeira e significa, finalmente, a transformação do Estado venezuelano em um apêndice de Cuba.

10. Em que pese que nossa proposição é razoável, democrática e constitucional, porta-vozes do governo e alguns setores da oposição o qualificarão de “golpista”. Porém, ocorre justamente o contrário: golpistas são os que vieram violando a Constituição de maneira sistemática. Restabelecer sua vigência é um mandato explícito, contemplado no Artigo 333 da Carta Magna.

Durante os próximos dias se definirá se a Venezuela deixará de existir como nação, para se converter definitivamente em uma colônia de Cuba, ou se recuperaremos nossa identidade e nosso destino histórico. Estamos convencidos de que nossas Forças Armadas, respaldadas por todos os setore da sociedade, daremos uma passo à frente e impediremos a dissolução da pátria.

Caracas, 10 de janeiro de 2013.

Para aderir ao manifesto, clique aqui (http://bit.ly/WBdbly)

Tradução: Graça Salgueiro

Enrique Aristeguieta Gramcko
Oscar Centeno Lusinchi
Enrique Tejera París
Pedro Pablo Aguilar
Oswaldo Álvarez Paz
María Corina Machado
Diego Arria
Pablo Medina
Marcel Granier
Miguel Henrique Otero
Héctor Silva Michelena
Emeterio Gómez
Aníbal Romero
Elides Rojas
Werner Corrales-Leal
Antonio Sánchez García
Asdrúbal Aguiar
Eduardo Roche Lander
Julio César Moreno León
G/D Fernando Ochoa Antich
José Curiel Rodríguez
Rafael Marín
Yon Goicoechea
Rafael Alfonzo
Alfredo Coronil Hartmann
Alberto Arteaga Sánchez
Manuel Felipe Sierra
Rafael Muci Mendoza
Eddie Ramírez
Francisco Kerdel Vegas
Blas Bruni Celli
Marco Tulio Bruni Celli
Paulina Gamus
V/A Rafael Huizi Clavier
G/D Rafael Montero Revette
G/D Carlos Julio Peñaloza
V/A Mario Iván Carratú Molina
G/D Jesús Emilio Hung Abreu
G/D Manuel Andara Clavier
G/D José Antonio Olavarría
Ángela Zago
Alberto Francheschi
Luis Betancourt Oteyza
Carlos Armando Figueredo
José Antonio Cova Sosa
Adriana Vigilanza
Luisa Elena Vidaurre
Rodrigo Diamanti
G/B Juan Antonio Herrera Betancourt
Valentín Arenas
Macky Arenas
Nitu Pérez Osuna
Humberto Maio Negrete
Benjamín Scharifker
Hugo Groening Pulido
Alfredo Weil
Antonio Rodríguez Iturbe
J. Oswaldo Páez Pumar
Alejandro Páez Pumar
Marisol Sarría Pietri
Iruña Urruticoechea
María Isabel Oliveros López
Armando Michelangeli Ayala
Julio César Arreaza Bustamante
Anne Marie Bach de Fuentes
Juan Enrique Hugo Baasch
Alida Preato Z.
Nelson Duque Hernández
Sofia Armas de Pedagua
M. L. Maritza Buch de Boede
Carlos Ramírez López
Rosa A. de Pardo
C/A Elías Buchszer Cabriles
Adolfo R. Taylhardat
María Elena Arenas
Theresly Malavé
V/A Jesús Enrique Briceño García
V/A Eddy Guerra Conde
V/A Carlos Ramos Flores
G/D Enrique Prieto Silva
G/D Juan Ferrer Barazarte
G/D Luis Camacho Kairuz
G/B Teodoro Díaz Zavala
G/B Simón Figuera Pérez
G/B Miguel Aparicio Ramírez
G/B Ovidio Poggioli
G/B Luis José Hernández Campos
Guillermo Salas
Ana Luisa Arcay Viso
Ludwig  Moreno Ladera
Luis Manuel Aguana
Iñaki Gainzaraín Gaztelu
Elsa Boccheciampe
Janet Fermín
Eduardo Báez Torrealba
Luis Octavio Diez Rodríguez
Carlos Alvarado Grimán
Antonio Suels Aranda
Rafael A. Escalona Z.
Carlos A. Escalona Z.
Cnel. Luis Alfonso Dávila
Cnel. Rubén Bustillos R.
C/N Victor Manuel Ponte Mendez
Cnel. Antonio Semprún
Cnel. Silvino Bustillos
Edgar Parra Moreno
Juan Alcides Escalona
Luis Guillermo Pilonieta
Juan José Monsant
Miguel Alfonzo Ocanto
Gustavo Sosa Izaguirre
Andrés Scott Velásquez
Luis Hidalgo Parisca
Rodolfo Álvarez Bajares
Julio Dávila Cárdenas
Hans E. Adam
T/F Gerardo Maldonado Cámera
José M. Lander
Alfonso Graterol
Hermann Boede
Eckart Boede
Margarita Palacios Cabré
Miriam Nikken de López
Luis J. Joly Tinoco
Alicia Chagín Nazar
Chópite García
Rafael Tremols Fresneda
Luis Monch Orta
Gerardo A. Bernal U.
Antonio Nicolás Briceño Braun
Nelson Barreto Herrera
María Teresa van der Ree
Marcial Enrique Márquez
Carmen María Zamora Lara
Luis Alfredo Urriola
Ana Beatriz Azuaje de Inglessis
Pedro Saturno
Sara Espinoza
Cristina Guzman
Gladys Ronca
Pedro Paúl Bello
Rafael Leon
Julio Deffit
Florinda Arguello
Ing. Roberto Da Silva
Lorenzo Maldonado Cámera
Carlos Anglade
Carlota Anglade
Carlos Redondo Morazzani
Luisa Carvajal
Bernardo Neher Borjas
Dulce Maria Gonzalez
Hernán Salazar
Annelisse Castillo
Thais Elizabeth Marin Duque
Henrique Faria Colotto

(Seguem assinaturas)