Inicio » Escritos, Portugês

Alejandro Peña Esclusa e seu grande trabalho pela democracia hemisférica

13 August 2010

Versión en español

Gustavo Coronel, geólogo venezolano

Por: Gustavo Coronel

Atualmente na prisão por ordens do déspota venezuelano, Hugo Chávez, Alejandro Peña Esclusa tem sido desde vários anos um dos mais efetivos campeões da democracia latino-americana. Embora se oponha firmemente a Hugo Chávez, sua estratégia não se limitou a opor-se a ele na Venezuela senão que estendeu-se a toda a região latino-americana, que é o verdadeiro campo de batalha entre a democracia e o despotismo.

Na região, Peña Esclusa dedicou-se a combater as grosseiras tentativas intervencionistas de Hugo Chávez e suas pródigas doações de dinheiro a líderes corruptos. Para combater Chávez, Peña Esclusa foi tecendo alianças com grupos democráticos em cada país, até o ponto de ter uma rede de organizações filiadas a seu movimento que já ultrapassa cento e cinqüenta. Essas organizações estão em todos os países da América: na Bolívia, Colômbia, Argentina, Honduras, Brasil, em todos os lugares onde a batalha entre o despotismo chavista e a democracia é particularmente intensa.

A estratégia regional de Peña Esclusa o converteu no líder da oposição venezuelana melhor conhecido em toda a região. Seus livros sobre o Foro de São Paulo desmascararam os pseudo-líderes democráticos do hemisfério, expondo sua hipocrisia, em especial a Lula da Silva.

Alejandro Peña Esclusa - Foto: Jordi Romeu

Certamente, era questão de tempo para que o regime chavista pusesse em marcha sua ação repressiva contra Peña Esclusa. Já estava lhe causando muito dano com suas prédicas sistemáticas e muito bem pensadas. Nos diversos países do hemisfério, Peña Esclusa já era recebido como um legítimo campeão da democracia e apreciado pela opinião pública. Tal foi o caso de Honduras, onde foi recebido pelo presidente Micheletti, na meia-lua da Bolívia onde é visto como um grande aliado, na Argentina, onde as forças anti-Kirchner o receberam com agrado, em El Salvador, onde se opôs na imprensa e TV à intromissão chavista, e influiu nos resultados finais do processo eleitoral, o qual representou uma amarga derrota para os extremistas financiados por Chávez.

Um bom dia, há algumas semanas, a residência de Peña Esclusa e de sua família, esposa e filhas pequenas, foi invadida pelos malandros da polícia chavista. Entraram à força, plantaram explosivos nos locais onde, presumivelmente, as meninas os utilizariam para fazer bombas e levaram Peña Esclusa preso. Desde então está detido, com restrição severa de sua capacidade para se defender. Na Venezuela do déspota os direitos humanos da oposição não existem.

A detenção de Peña Esclusa é muito mais daninha para Chávez do que para Peña Esclusa. Embora uma detenção seja sempre traumática, sua figura se viu agigantada por seu encarceramento, enquanto que a figura do palhaço repressivo viu-se ainda mais apequenada e desprezada pelos democratas latino-americanos.

Pedimos a liberdade imediata de Alejandro Peña Esclusa. Fora o déspota venezuelano do poder!

Fonte: http://lasarmasdecoronel.blogspot.com

Tradução: Graça Salgueiro