Inicio » Escritos, Portugês

Proposta para um Novo Movimento Nacional

26 July 2010

Versión en español

Queridos compatriotas venezuelanos,

Escrevo-lhes para lhes propor a conformação de um grande movimento nacional, cujos objetivos serão: primeiro, conseguir uma mudança de governo, a fim de impedir a destruição da pátria; e segundo, fazer da Venezuela uma potência industrial, onde cada um, por meio de seu esforço próprio, possa ter acesso à boa alimentação, residência própria, educação para seus filhos, saúde de qualidade e segurança para poder trabalhar e desfrutar a vida.

A mudança de governo não poderá ser alcançada pela via eleitoral, porque o regime comete fraude. Aqui aproveito para adverti-los de que nas eleições parlamentares de 26 de setembro a oposição arrasará, porém o oficialismo só reconhecerá uns quantos deputados. Por sua parte, alguns líderes opositores aceitarão os resultados fraudulentos, como o fizeram no Referendum Revocatorio de 2004 e em outras oportunidades.

Afortunadamente, existe outra opção democrática e constitucional para conseguir uma mudança de governo, porém isso requer organizar uma rede em todo o território nacional, capaz de realizar protestos pacíficos de maneira coordenada e simultânea para exigir, ou a renúncia ou a destituição de Chávez.

Não se trata de criar um movimento novo, senão de articular todos os grupos da sociedade já existentes, tanto em Caracas quanto no resto do país. Os partidos políticos não irão querer fazer parte desta iniciativa porque estão concentrados unicamente em lançar candidatos e participar das eleições. Porém, uma vez ganhe força, a maioria deles se somará.

Sobre o programa de restauração democrática e o plano de desenvolvimento econômico, dedicarei um próximo escrito, mas queria no momento sugerir a leitura de meu livro O Continente da Esperança, disponível em www.fuerzasolidaria.org.

Queridos compatriotas venezuelanos: apesar dos obstáculos e das dificuldades, asseguro-lhes o êxito contundente e definitivo desta iniciativa, porque as condições objetivas e históricas estão dadas, e porque o povo venezuelano clama por um futuro melhor, muito diferente do modelo Castro-Comunista cubano.

Desde o cárcere onde me encontro, lhes reitero:

NÃO TENHAM MEDO! ÂNIMO, TENHAM ESPERANÇA!

Alejandro Peña Esclusa
Caracas, 25 de julho de 2010.

Tradução: Graça Salgueiro