Inicio » Noticias, Portugês

Urge impedir o ingresso de Chávez no Mercosul!

14 October 2009

Versión en español

Chávez y Lula en reunión del Mercosur

Chávez y Lula en reunión del Mercosur

UnoAmérica ao empresariado paulista:

Dirijo-me a todos, em caráter de urgência, para propor-lhes uma mobilização, destinada a evitar que o tirano Hugo Chávez seja aceito no MERCOSUL e que se utilize desse bloco aduaneiro para pôr em perigo a paz e a estabilidade de toda a região.

Os fatos são os seguintes:

1. O governo de Hugo Chávez tem feito todos os esforços possíveis para ser aceito no Mercosul; não para melhorar a situação econômica dos países envolvidos, senão para utilizar o bloco com fins políticos e para impulsionar o socialismo do séc. XXI.

2. É evidente que o senhor Chávez não cumpre com as mínimas condições para participar do Mercosul, posto que diariamente viola os direitos humanos, destrói as instituições democráticas, fecha os meios de comunicação, persegue a seus opositores e confisca propriedades.

3. Ademais, o senhor Chávez mantém vínculos sumamente perigosos com o castro-comunismo cubano, o narcoterrorismo colombiano e o fundamentalismo islâmico. Todos os países pertencentes à ALBA — bloco auspiciado por Chávez — têm firmado contratos “comerciais” com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que jurou varrer Israel da face da Terra.

4. O governo de Lula tem promovido sistematicamente o ingresso da Venezuela de Chávez no Mercosul, até agora sem êxito, porém um novo elemento poderia mudar a situação. O Prefeito de Caracas, Antonio Ledezma (1), aberto opositor a Chávez, declarou publicamente que conviria dar curso à solicitação da Venezuela, argumentando que “manter Chávez isolado o faz mais perigoso”. Em vista de sua proposta, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, poderá convidar Ledezma para participar de uma audiência pública, já no próximo 22 de outubro, para discutir sua proposta (2).

5. Chama a atenção que há apenas quatro meses, Ledezma enviou uma carta ao Presidente do Senado, José Sarney, opondo-se ao ingresso da Venezuela no Mercosul, o que lhe valeu graves ameaças por parte do chavismo, inclusive uma acusação por traição à Pátria (3).

6. Não duvidamos das boas intenções de Ledezma, mas não se pode prejudicar os interesses nacionais baseando-se em seu ponto de vista, já que se trata de um homem seriamente ameaçado e pressionado. Vale recordar que vários funcionários da Prefeitura de Caracas estão no cárcere e que ele mesmo teve que se declarar em greve de fome para poder ter acesso aos recursos da Prefeitura. Se Ledezma está acossado pelo regime ditatorial de Chávez, merece toda a nossa solidariedade, mas não podemos por isso confiar em seu critério.

Por todas essas razões, faço um chamado a todos os setores democráticos do país, particularmente aos empresários paulistas, para defender o Brasil das pretensões expansionistas do socialismo do séc. XXI.

São Paulo, 13 de outubro de 2009

Marcelo Cypriano Motta  unoamerica.sp@gmail.com
Delegado da UnoAmérica no Estado de São Paulo
Delegado do Grupo 11 (Venezuela) no Brasil
Membro do Conselho Cívico e Cultural, da Associação Comercial de São Paulo
Filiado ao Democratas (DEM)

(1) http://www.noticias24.com/actualidad/noticia/97704/ledezma-sera-esuchado-en-senado-brasileno/
(2) http://www.senado.gov.br/agencia/verNoticia.aspx?codNoticia=96243&codAplicativo=2&parametros=Ledezma
(3) http://www.radiomundial.com.ve/yvke/noticia.php?26134